WhatsApp

(11) 97970-0276

ESTELIONATO

Hacker é preso por invadir e efetuar compras em celular de cliente de aplicativo sob demanda

Ele também utiliza um app de mensagens para conseguir depósitos bancários dos contatos existentes no aparelho da vítima

04/09/2020 21h30Atualizado há 3 semanas
Por: Carlos Garcia
Policiais Militares  prendem hacker por invadir aparelho celular e realizar compras em aplicativo sob demanda

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Na avenida Conde Francisco Matarazzo, nesta terça-feira (02), centro de São Caetano do Sul, Policiais Militares do 6º Batalhão, prendem hacker por invadir celular de uma mulher, usuária de um aplicativo que efetua serviços de entrega (delivery) sob demanda, e efetuar compras de diversos produtos.

A equipe de agentes atende ao chamado do motoboy, que relata uma suspeita de invasão remota no app, instalado no telefone móvel de sua cliente. Posteriormente, ela informa ao entregador, através do chat (opção de conversa entre duas pessoas disponíveis no software) sobre a clonagem e solicita ao profissional, o cancelamento do pedido.

A fim de descobrir a identidade do hacker, os policiais se posicionam próximo ao local da entrega solicitada por ele e, depois de receber a encomenda é abordado.

De acordo com agentes, após ser questionado sobre a mercadoria recebida, o criminoso virtual se mostrou extremamente nervoso, seguido de tremedeiras pelo corpo e disse que estava no local a fim de recolher a encomenda para um amigo, que segundo ele, era da região de Itaquera. Entretanto, não consegue informar o nome completo, bem como o local exato da residência dele.

O entregador entrou em contato com a Central de Serviços do aplicativo e foi relatado pelo operador a existência de fraude na entrega relatada.

Ainda conforme depoimento da vítima, um software de mensagens também é utilizado para pedir dinheiro a diversos contatos existentes em seu celular. Através deste método, o criminoso virtual obteve a quantia de R$ 900,00 depositados em sua conta por uma amiga.

Várias compras foram efetuadas por intermédio deste aplicativo pelo hacker.

A ação ilegal do hacker se enquadra no crime de estelionato, infração pela qual está preso no Distrito Policial Sede de São Caetano do Sul e, a pena pode chegar a 05 anos de reclusão.

Ele1 - Criar site de notícias